Halldór Laxness

Halldór Kiljan Laxness nasce em 1902 e torna-se uma lenda no seu próprio tempo. Em 1955 é galardoado com o Prémio Nobel de Literatura.

Logo em 1927, aquando da publicação do romance Vefarinn mikli frá Kasmír (O Grande Tecedor de Cachemira), considerado por muitos o primeiro romance moderno islandês, um crítico escreve sobre ele: «Finalmente! Finalmente! A Islândia tem um novo grande escritor.» A partir daí seguem-se várias obras-primas: Gente Independente (1934); Heimsljós (A Luz do Mundo) (1937); O Sino da Islândia (1943); Os Peixes Também Sabem Cantar (1957); Paradísarheimt (Paraíso Reclamado) (1960); Kristni hald ndir Jökli (Cris­tandade Debaixo do Glaciar) (1968).

Para além de romances, Laxness escreveu também contos, ensaios, teatro, poesia e vários textos autobio­gráficos. A sua obra encontra-se traduzida em mais de 45 línguas e publicada em mais de 500 edições, com enorme sucesso em todo o mundo. Halldór Laxness é um verdadeiro mágico com as pala­vras. Detém uma espantosa gama de estilos e de temas e consegue sempre surpreender o leitor através de uma imaginação inesgotável e de recursos técnicos arrebatadores. Falece aos 96 anos, consagrado como um dos maiores escritores de sempre.

Livros do autor

O Sino da Islândia

Halldór Laxness

Halldór Laxness, com mão de mestre, transforma a história de O Sino da Islândia numa homenagem à tradição heroica islandesa, usando como cenário reais conflitos políticos e sociais.

Gente Independente

Halldór Laxness

Gente Independente tem lugar na Islândia, no início do século XX, numa sociedade de servidão e num país com uma natureza inclemente. É a saga de Bjartur, um homem obstinado, inquebrável e inesquecível.

Os Peixes Também Sabem Cantar

Halldór Laxness

Os Peixes Também Sabem Cantar, é um dos livros mais marcantes do prémio Nobel islandês.