• Autor Ferreira de Castro
  • Ilustrador
  • Coleção Ficção em Língua Portuguesa
  • ISBN 9789896231736
  • PVP 11,99 € (IVA incluído)
  • preço livre
  • 1ª Edição setembro 2013
  • Edição atual 1.ª
  • Páginas 85
  • Apresentação
  • Dimensões 150 X 225 mm
  • Idade

França, Segunda Guerra Mundial: o frade Georges Mounier informa o superior da congregação religiosa a que pertence que, ditado por um imperativo de consciência, tomara a iniciativa de suspender a ordem de pintar a palavra Missão no telhado do convento, que permitiria as­sinalar o edifício pelo ar aos bombardeiros alemães. Porém, tal iniciativa equivaleria igualmente a denunciar o edifício semelhante ao lado, an­tigo convento de freiras transformado em fábrica que contribuía para o esforço de guerra francês, pondo em risco a vida dos operários e das famílias que viviam nas habitações em torno deste. «As mesmas letras que nos protegem podem representar uma sentença de morte para os homens que ali trabalham», explica o frade ao superior, desencadeando um aceso debate sobre a decisão mais correcta: a de conservar a neu­tralidade da Missão ou de salvar vidas, colocando-se ao serviço de umas das partes do conflito. O desfecho será inesperado.

O presente volume inclui ainda a novela O Senhor dos Navegantes, tornando novamente disponível aos leitores portugueses duas grandes obras da literatura nacional.

José Maria Ferreira de Castro (1898 - 1974) é uma das figuras cimeiras da literatura portuguesa. Publica, em 1928, o romance Emigrantes e A Selva em 1930, acompanhados de estrondoso êxito internacional, onde a literatura portuguesa pouca expressão tinha. Seguir-se-á, a um ritmo regular, a publicação de outros romances: Eternidade (1933), Terra Fria (1934), A Tempestade (1940), A Lã e a Neve (1947). No período imediato ao pós-guerra, Ferreira de Castro torna-se um dos autores mais lidos em Portugal e no estrangeiro. 

Nos anos cinquenta publica o romance A Curva da Estrada e, entre outras obras, a famosa novela A Missão. De 1968 data o romance O Instinto Supremo, onde o autor regressa, quase quatro décadas depois de A Selva, ficcionalmente à selva amazónica. Ferreira de Castro foi, diversas vezes, proposto para o Prémio Nobel e, outras tantas, recusou sê-lo, em prol de outros escritores portugueses.





Outros livros do mesmo autor

Emigrantes

Ferreira de Castro

Era um sonho denso, uma ambição profunda que cavava nas almas, desde a infância à velhice.

Terra Fria

Ferreira de Castro

Publicado originalmente em 1934, Terra Fria suscita, desde logo, o entusiasmo da crítica, vindo a ocupar um dos lugares cimeiros do universo ficcional de Ferreira de Castro e na literatura portuguesa do século xx.

A Experiência

Ferreira de Castro

Elogiado pela crítica como romance de grande intensidade psi­cológica e apontado como um dos textos mais subversivos do autor.

A Selva

Ferreira de Castro

Considerado um dos livros-monumento e de maior sucesso, dentro e fora de portas, da nossa literatura moderna.

A Tempestade

Ferreira de Castro

Em A Tempestade, Ferreira de Castro transita com mestria das grandes paisagens de A Selva ou Terra Fria para a dimensão fechada do espaço doméstico citadino.

Emigrantes Edição Limitada

Ferreira de Castro

Em todas as aldeias próximas, em todas as freguesias das redondezas, havia o mesmo anseio de emigrar, de ir em busca de riqueza a continentes longínquos.

A Lã e a Neve

Ferreira de Castro

Um dos livros de maior sucesso do autor, A Lã e a Neve é, indiscutivelmente, um dos grandes romances da literatura portuguesa do século XX.