• Autor Elias Canetti
  • Ilustrador
  • Coleção Ficção Traduzida
  • ISBN 9789896231422
  • PVP 24,99 € (IVA incluído)
  • preço livre
  • 1ª Edição março 2015
  • Edição atual 2.ª
  • Páginas 536
  • Apresentação
  • Dimensões 150 X 225 mm
  • Idade

Auto-de-fé é o único romance de Elias Canetti. Obra magistral, catapultou este escritor de génio forte e individual para a categoria dos principais autores europeus, ao lado de Robert Musil, Hermann Broch e Karl Kraus. Proibido pelo regime nazi quando da sua publicação, este é hoje considerado um dos livros fundamentais da história da literatura ocidental.

Auto-de-fé narra a história do professor Peter Kien, erudito especializado em sinologia, proprietário da maior biblioteca privada da cidade. É no seu apartamento, rodeado de livros, que Kien se refugia, evitando todo e qualquer contacto físico e social. Misantropo, solitário, excêntrico, Kien é um ser «composto de livros», interpretando o mundo através da sua vasta biblioteca, que transporta zelosamente consigo, armazenada no interior da sua cabeça. O ponto de viragem da sua vida é o casamento com Teresa, a sua ignorante e ávida governanta. Expulso da sua própria casa, Kien é obrigado a percorrer o mundo exterior, travando conhecimento com inúmeros dos seus personagens, que o acompanharão neste seu longo exílio. Figuras sombrias, medíocres, grotescas e memoráveis, como o anão Fischerle e a prostituta, sua mulher, ou o porteiro Pfaff. Pela mão destes, Kien, julgando controlar a situação, descerá pouco a pouco ao inferno, apressando o passo para um final sublime e trágico: um verdadeiro auto-de-fé.

Elias Canetti (Ruse, 1905 — Zurique, 1994), romancista, filósofo e ensaísta, e uma das figuras mais influentes do pensamento crítico do século XX, foi galardoado com o prémio Nobel de Literatura, em 1981. Proveniente de uma família de judeus sefarditas (a língua materna de Canetti foi o ladino), a sua juventude foi passada entre a Áustria, a Suíça e a Alemanha. Auto-de-Fé, o seu primeiro e único romance, data de 1935, e é destinado a inserir o seu nome na história da literatura, ao lado de figuras como as de Musil e de Broch.

Em 1960 publica o ensaio Massa e Poder, estudo fundamental e indispensável sobre a sociedade humana ao qual dedicou três décadas da sua vida.

Seguem-se, entre outras obras, o volume de ensaios A Consciência das Palavras (1975) e a trilogia autobiográfica cuja publicação a Cavalo de Ferro iniciou com A Língua Resgatada.





Outros livros do mesmo autor

Massa e Poder

Elias Canetti

Considerado um dos livros fundamentais do século xx e magistral obra de génio.

A Consciência das Palavras

Elias Canetti

Com este volume de ensaios, até à data inteiramente inéditos em Portugal, Elias Canetti «agarra o século XX pelos colarinhos» e oferece ao leitor de hoje a compreensão do seu próprio tempo e mundo.

A Língua Resgatada: História de uma Juventude

Elias Canetti

Primeiro dos três volumes que compõem as memórias autobiográficas de Elias Canetti, e que se confundem com a atribulada história do século XX.

O Archote no Ouvido: História de uma Vida 1921-1931

Elias Canetti

Uma extraordinária e singular odisseia cultural.