• Autor Hjalmar Bergman
  • Ilustrador
  • Coleção Ficção Traduzida
  • ISBN 9789896232450
  • PVP 17,69 € (IVA incluído)
  • preço fixo até fim de abril de 2020
  • 1ª Edição novembro de 2018
  • Edição atual 1.ª
  • Páginas 352
  • Apresentação capa mole
  • Dimensões 150x225x25,8 mm
  • Idade

«A mestria narrativa de Bergman, pejada de imaginativa carga simbólica e de ironia, torna este romance uma obra singular, elevando-o à categoria dos livros que não se deixam prender à época em que foram escritos.» - Ipsílon

Há gerações que uma espécie de maldição paira sobre a família de Jan Arnberg, desde que um tetravô paterno, o primeiro dos Arnberg, cometeu o terrível crime de parricídio. Para escapar à fúria vingativa do destino, o pai de Jan mudou-se para os Estados Unidos, onde, engolido pelo espetáculo da sociedade de consumo e dos slogans publicitários, acabou por falhar na vida; agora, é Jan quem tem de fugir: devido a um escândalo, vê-se obrigado a abandonar a pequena cidade sueca onde vive, acabando nas ruas de Hamburgo ? e enquanto a tragédia começa, uma vez mais, a desenhar-se diante dos seus olhos, Jan apercebe-se de que a única opção poderá ser render-se à sua sorte.

Numa mistura macabra de comédia e pesadelo, Memórias de um Morto é uma reflexão teatral, irónica e onírica sobre a inevitabilidade do destino e a irracionalidade da vontade humana.

«O elevado grau de exigência que marca a sua escrita só vem tornar ainda mais recompensadora a leitura de Memórias de um Morto.» - Jornal de Notícias

Tradução direta do original sueco pelo reputado escritor e tradutor João Reis.

Hjalmar Bergman foi um romancista, contista e dramaturgo sueco. Nasceu, em 1883, na pequena cidade de Örebro, cenário para muitas das suas obras. A sua vasta e influente produção literária contribuiu para projetar internacionalmente a literatura do seu país, libertando-a de forma definitiva de um certo regionalismo.

A sua fama como romancista deve muito à publicação, em 1918, de Memórias de um Morto e, no ano seguinte, do livro Markurells i Wadköping («Os Markurells de Wadköping»), drama irónico que retrata exemplarmente a vida de província. Muitos dos seus livros foram alvo de adaptação cinematográfica e televisiva.

Após um frustrante período em Hollywood, onde não consegue vingar como guionista, uma dependência de álcool e narcóticos causa a sua morte prematura, em 1931, em Berlim, onde edita o The Letters Page.