• Autor Urbano Tavares Rodrigues
  • Ilustrador
  • Coleção Biografia/Memórias
  • ISBN 9789896232429
  • PVP 12,69 € (IVA incluído)
  • preço livre
  • 1ª Edição outubro 2017
  • Edição atual 1.ª
  • Páginas 88
  • Apresentação
  • Dimensões 150 X 225 mm
  • Idade

No início dos anos 70 do século passado, Urbano Tavares Rodrigues visitou a União Soviética durante três semanas na companhia de outros escritores portugueses. Esteve em Moscovo e Leninegrado (actual São Petersburgo), no Cazaquistão e no Uzbequistão, no «novo mundo siberiano» e no «fabuloso Oriente». Em cada paragem falou com pessoas, conheceu as suas casas, entrou em museus, palácios, igrejas, livrarias, até num hospital, devido a doença repentina, sem se coibir de fazer perguntas, por mais incómodas que fossem. Queria descobrir a «verdadeira sociedade colectivista» e os impactos da «grande revolução tecnocientífica».

Foi uma viagem apaixonada, de um militante do Partido Comunista, mas também uma viagem de indagação, de verificação, de questionamento. De alguém que sabia que apenas poderia reter «informações forçosamente limitadas, impressões forçosamente subjectivas». O resultado é um livro que surpreende pela lucidez cristalina das suas observações, nunca obscurada pela sombra do entusiasmo propagandístico e ideológico.

Numa prosa admirável, plena de ritmo e sugestivas descrições, Urbano Tavares Rodrigues revela a independência de espírito que sempre marcou a sua obra. Um documento para a história  contemporânea portuguesa.

Urbano Tavares Rodrigues (1923–2003) é um dos grandes escritores portugueses do século XX, autor de uma obra singular, que se divide pelo romance, novela, conto, ensaio, crónica e teatro, perfazendo quase 100 títulos. Também no jornalismo (O Século, Jornal de Comércio, Artes e Letras), no ensino (Liceu Camões, Liceu Francês, Colégio Moderno e Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde chegou a catedrático) e na militância no Partido Comunista Português (foi preso várias vezes e impedido de lecionar), sempre se mostrou atento ao outro, na defesa dos valores da tolerância e do conhecimento.

Publicou o seu primeiro livro ainda na década de 40, dando início a um percurso literário que veio a ser distinguido com vários galardões, como o Prémio Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores, Prémio Fernando Namora e Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco.