logo

Rashomon e Outras Histórias

  • Home
  • /
  • Catálogo
  • /
  • Rashomon e Outras Histórias
pdf Veja por dentro
  • Autor
  • Coleção
  • ISBN 9789896232788
  • PVP 19.99 € (IVA incluído)
  • preço livre
  • 1ª Edição junho de 2019
  • Edição atual 2
  • Páginas 360
  • Apresentação capa mole
  • Dimensões 150x225x26,9 mm

À venda a 24 de junho

«Fora do Japão, talvez só a prosa de Kafka ou os poemas de Celan lhe sejam comparáveis.» - The Guardian

Considerado «o pai do conto japonês», Ryunosuke Akutagawa é o criador de um espólio de textos — apaixonados, violentos, vibrantes, sombrios, majestosos — que não só são fruto de um espírito de mudança cultural que surgia no novo Japão, como o retrato da própria história do país.

O presente volume reúne as histórias mais significativas desta figura incontornável da literatura japonesa, influência maior para uma geração de escritores e cineastas, servindo igualmente de guia ao leitor numa viagem fascinante por uma cultura milenar: do Japão lendário e fabuloso àquele medieval, habitado por xoguns e missionários cristãos portugueses, até à euforia imperialista e moderna.

«Um mestre (…) Brilhante e intuitivo (…) Akutagawa perdura como um marco inamovível na literatura japonesa, como parte da nossa fundação intelectual.» - Haruki Murakami

Ryunosuke Akutagawa, nascido em Tóquio em 1892, foi escritor, poeta, ensaísta e um dos primeiros modernistas japoneses a serem traduzidos no Ocidente. Começou a escrever após entrar para a Universidade de Tóquio, em 1910, participando com traduções e alguns textos próprios na revista literária Shinshicho.

Em 1915, publica o seu segundo conto, «Rashomon», texto que, embora criticado ostensivamente pelos seus pares aquando da sua publicação, se tornou um dos trabalhos mais importantes de Akutagawa, tendo sido, aliás, a base para o filme de Akira Kurosawa com o mesmo título.

Continuou a escrever, parando apenas durante alguns meses, nos quais trabalhou como jornalista para o Osaka Mainichi Shinbun, viajando pela China; no total, para além de haikai e textos dispersos, escreveu mais de 150 contos que o elevaram à categoria dos mais importantes escritores da literatura japonesa, a par de Tanizaki, Kawabata, Soseki e Mishima. Padecendo de uma saúde física e mental frágil, morreu aos 35 anos, vítima de suicídio.